Serviço de Inteligência em Agronegócios
Consultoria
Capacitação
Projetos
Assistência Técnica

GPEP

Grupo Ecologia do Pastejo

Dedica-se ao estudo das relações entre plantas e herbívoros nos diferentes ecossistemas pastoris. As estratégias que os animais utilizam para o uso da pastagem, a seleção de dietas e a resposta das plantas à intensidade de pastejo são os processos centrais de investigação.

Os temas mais atuais de pesquisas do grupo portam sobre o manejo de ruminantes em pastagens, metodologias de avaliação de consumo em pastejo, as relações entre a estrutura dos pastos e o processo de pastejo de pequenos e de grandes herbívoros, e o manejo conservacionista de ecossistemas pastoris. Este conceito nos remete ao estudo das relações produtivas, ambientais, conservação, preservação dos recursos naturais.

Não somente com intuito de limitar a “bater recordes” de produção animal. Somente com esta compreensão sistêmica do funcionamento do ambiente pastoril é possível se propor formas de manejo sustentáveis e duradouras.

Proposta de atuação

A pesquisa em produção animal em pastagens tem sido caracterizada por uma abordagem mais fenomenológica que analítica. A proposta que trabalhamos está em utilizar as mesmas variáveis de saída de produção do sistema (e.g., ganho/animal; ganho/ha), porém, com forte investimento no estudo nos fenômenos explicativos a estas respostas.

O foco atual está nas variáveis que elucidam os processos que se desenvolvem no Ecossistema Pastoril, mais do que a quantificação pura e simples de seu potencial produtivo. Estudamos tanto os processos envolvidos nas escolhas dos animais em pastejo como na dinâmica da vegetação. Mais recentemente temos focado atenção, também, na investigação do potencial mitigador de gases de efeito estufa em sistemas integrados com uso de animais.

Também tem trabalhado no uso de equipamentos aplicados a pecuária de precisão, e sobre o impacto do pastejo nas lavouras de grãos e nos estoques de carbono do solo, bem como a emissão de gases de efeito estufa em sistemas agrícolas e pecuários.

Visite o site